Bom dia!

Hoje tenho um post um pouco diferente, vou falar do workshop que realizamos no dia 30 de Abril sobre reaproveitamentos de alguns produtos hortifrutícolas que muitas vezes são desperdiçados.

Estou a estudar Engenharia Alimentar em Lisboa, e actualmente estou a  realizar a minha tese de mestrado sobre produção de farinha a partir da utilização integral de fruta (casca e polpa), no caso, o Abacaxi. Eu e minhas colegas decidimos então fazer um workshop de modo a sensibilizar as pessoas para o desperdício alimentar e o reaproveitamento das partes menos nobres das frutas e vegetais, assim como a fruta e vegetais demasiado maduros. Tivemos três oradores convidados e no final a prova de alguns produtos realizados por nós.

Na União Europeia são desperdiçados 89 milhões de toneladas de alimentos por ano, enquanto que 1/3 de toda a produção mundial é desperdiçada por ano. Fazendo uma comparação entre países desenvolvidos e países em desenvolvimento vemos que a Europa, a América do Norte e a Oceania desperdiçam cerca de 95 – 115 kg de alimentos per capita/ano enquanto que na África subsariana e sul e sudeste da Ásia o desperdício é de 6 a 11 kg de alimentos per capita/ano. Alem disso, nos países desenvolvidos, o desperdício ocorre sobretudo nas etapas finais da cadeia alimentar (distribuição, retalho e consumidor), enquanto nos países em desenvolvimento as perdas ocorrem predominantemente durante a produção, colheita, pós-colheita e transformação.

Isto para dizer que desperdiçamos mais do que pensamos e muitas vezes estamos a jogar fora partes de frutas e vegetais que estão cheios de nutrientes. Vão ficar surpreendidos com o que jogamos fora e podem perfeitamente ser utilizados nos nossos pratos do dia a dia. Para não falar da poupança que fazemos na nossa carteira!! Descobri um livro muito interessante escrito por Alexandre Fernandes com o titulo “Cascas, Talos e Folhas – e outros tesouros nutricionais” onde ele apresenta várias receitas em que os ingredientes principais são as partes das frutas e vegetais que normalmente jogamos no lixo. Deem uma olhada, vale muito a pena!!

Abaixo deixo algumas fotos do workshop que foi um sucesso e as receitas que apresentamos nas provas finais 😉

??????????????????????????????? ??????????????????????????????? ??????????????????????????????? ??????????????????????????????? ??????????????????????????????? ??????????????????????????????? ??????????????????????????????? ???????????????????????????????

 

CASCA DE LIMÃO CRISTALIZADA

  • 1 medida de cascas de limão
  • 1 medida de água
  • 1 e ½ medida de açúcar
  • papel vegetal
  • açúcar para finalizar

Retirar os restos de polpa e um pouco da parte branca se esta for muito grossa e cortar as cascas em tiras. Deixar as tiras de molho durante 1 ou 2 dias, trocando a água várias vezes (para retirar o amargo).

Colocar as tiras numa panela com água fria e levar ao fogo até levantar fervura, escorrer e repetir esse processo mais 3 vezes. Não deixar ferver para que não fiquem moles.

Levar ao fogo com a água e o açúcar e mexer devagar até a água evaporar e a calda ficar espessa. Retirar o excesso de calda e coloque as tiras sobre uma folha de papel vegetal. Separe-as com um garfo e deixe esfriar. Antes de secarem por completo passe-as por açúcar.

Guardar as tiras cristalizadas em um pote limpo e com tampa, em local seco. Utilize a calda para fazer limonada!

 

BOLO DE CASCA DE BANANA

  • Cascas de 4 bananas
  • 3 ovos
  • 1 xícara de margarina
  • 1 e 1/2 xícaras de açúcar
  • 2 xícaras de farinha de rosca (pão ralado)
  • 1 c/sopa de fermento em pó

No liquidificador adicione os ovos, a margarina derretida, o açúcar e as cascas de banana.

Numa vasilha coloque o pão ralado e o fermento e misture bem. Adicione a parte líquida aos poucos.

Leve ao forno médio pré- aquecido por aproximadamente 40 minutos numa forma untada com manteiga e farinha de rosca.

A banana é uma rica fonte de potássio, fósforo, magnésio, cobre, manganês e zinco, além de ser muito rica em fibras e proteína.

 

CROQUETES DE CASCA DE BATATA E TALO DE CEBOLA

  • 3 xícaras de casca de batatas cozidas
  • 1 cebola picada
  • 3 c/sopa de talos de cebola
  • 1 ovo
  • 1 xícara de café de pão ralado
  • Sal, pimenta e uma pitada de fermento

Bater as cascas, a cebola e o talo picado no liquidificador e temperar com sal e pimenta. Passar para uma vasilha e adicionar o ovo, o pão radado e uma pitada de fermento em pó. Temperar a gosto.

Faça os croquetes e frite em óleo bem quente.

A farinha de casca de batata apresenta bons teores de fibras e minerais, e dentro deste último, destacam-se o fósforo, o cálcio e o magnésio.

 

SALADA DE CASCA DE ABÓBORA

  • 2 Xicaras de casca de abobora ralada e pé cozida
  • 1 Xicara de tomate picado (inteiro)
  • ½ Xicara de cebola picada
  • Azeite e sal a gosto

Misture os ingredientes numa vasilha e tempere a gosto com azeite e sal.

A casca da abobora apresenta poucas calorias, e é rica em vitamina A, vitaminas do Complexo B, vitamina C, além de ser muita rica em fibras. Tem também elevados teores de carotenóides, além de ter propriedades laxativas (pelo alto teor de fibra), antioxidantes e diuréticas.

 

SEMENTES DE ABÓBORA NO FORNO

  • Sementes de abobora
  • Sal e tempero a gosto

Pré-aqueça o forno a 190ºC.

Separe as sementes da poupa da abóbora. Lave as sementes em água e se desejar retire os restos da polpa que ficaram presos. Seque as sementes com papel de cozinha e disponha-as numa assadeira. Tempere com sal e outros temperos que desejar. Exemplos: malagueta, caril, açafrão, canela, nós moscada.

Estudos mostram que a semente de abóbora apresenta alto teor de fibras alimentares, além de ser relativa fonte proteica e apresentar alto percentual de óleos polinsaturados.

A semente de abóbora possui um componente chamado cucurbitacina que possui acção anti- helmíntica. Em estudos clínicos com humanos foi observado que as sementes apresentam acção vermífuga.

 

GELEIA DE CASCA DE MAÇÃ

  • Cascas de 4 maçãs
  • 1/2 xícara (de chá) de açúcar
  • 2 colheres (de sopa) de suco de limão
  • 1 e ½ xícara (de chá) de água

Coloque as cascas das maçãs em uma panela, acrescente a água e o limão e leve ao fogo. Deixe ferver em fogo baixo com a panela tapada até as cascas ficarem macias. Bata no liquidificador.

Volte a colocar as cascas batidas na panela, acrescente o açúcar e volte ao fogo. Deixe ferver e cozinhar. Ao longo do cozimento será formada uma espuma que deve ser retirada com uma colher e jogada fora. Assim que apurar ela vai mudar de cor e pode ser retirada. Coloque em um recipiente de vidro previamente fervido e feche bem.

 

SUCO DE CASCA DE ABACAXI

  • Cascas de um abacaxi
  • 2 Litro de água
  • Açúcar e hortelã a gosto

Antes de descascar o abacaxi, lavar muito bem utilizando uma escova e detergente. Deixar de molho em uma solução de hipoclorito de sódio (Amukina) ou vinagre por 15 min. Retirar, enxaguar e secar bem.

Colocar as cascas juntamente com a água no liquidificador e triturar bem. Filtrar e adicionar açúcar e hortelã a gosto.

 

CASCA DE PEPINO

A casca verde escura do pepino está cheia de nutrientes importantes, aliás, sem ela o pepino seria praticamente água. É rica em fibras, o que ajuda na digestão e previne o câncer de cólon. A casca do pepino também é rica em vitamina A e vitamina C, potássio, magnésio e sílica.

O potássio proporciona flexibilidade aos músculos e dá elasticidade às células que compõem a pele. Isso resulta em rejuvenescimento da epiderme, especialmente a do rosto.

O pepino é conhecido por ser de digestão difícil, muitas vezes causando asia a quem o consome. Para que isso não acontece a casca deve ser consumida juntamente com o seu interior. Ao mastigar bem a casca as enzimas digestivas presentes na mesma serão libertadas ajudando assim na digestão.

 

BOLACHAS COM CASCA DO MAMÃO/PAPAIA

  • 250 g de farinha
  • 1 c/chá de Alecrim
  • 150 g de margarina
  • 1 ovo
  • Casca de uma papaia (ou meio mamão)
  • Sal grosso e sementes diversas (girassol, sésamo, etc)

Retirar a casca da papaia e com um garfo fazer cortes na parte exterior de modo a sair o “leite”, substancia que produz o sabor amargo. Colocar no forno a 150ºC com circulação de ar e deixar ate secar.

Num processador de alimentos colocar a farinha, o tomilho, a casca de papaia, o ovo e a margarina ainda fria em pedaços. Triturar até ficar homogéneo. Envolver a massa em pelicula aderente e levar ao frio durante 1h. Abrir a massa com cerca de 0,5 cm e com uma forma redonda cortar as bolachas. Por cima colocar as sementes e o sal grosso.

Assar a 180ºC por 15 minutos.

A casca do mamão possui grande quantidade de vitamina A e vitaminas do complexo B (B1, B2 e B5) que auxiliam no sistema imunológico; é rica em vitamina C e possui propriedades antioxidantes provenientes dos carotenóides. Contém papaína, uma enzima que funciona como facilitadora do processo digestivo das proteínas, ajudando na regularização do intestino.

 

SEMENTES DE PAPAIA

As sementes de papaia ou mamão podem ser utilizadas como substituto à pimenta. O seu sabor amargo e picante é uma mistura do sabor da pimenta com a mostarda. Divirta-se a experimentar novos sabores nos seus pratos utilizando estas sementes frescas ou secas

  1. Separe as sementes da polpa
  2. Lave bem para retirar restos de polpa
  3. Deixe secar ao sol ou no forno

Sugestão: Coloque as sementes no moinho juntamente com a pimenta.

 

AZEITE AROMATIZADO COM LARANJA E LIMÃO

  • Azeite
  • Casca de laranja ou limão
  • Tempero a gosto

As cascas de laranja e de limão podem ser acrescentadas no azeite para aromatizar o mesmo. Juntamente com outros temperos fica excelente para temperar saladas. Exemplo: alecrim, orégãos, hortelã, coentros, cardamomo, pimenta vermelha, alho seco, cebola seca.

Atenção, não adicione a parte branca da casca, esta dará um sabor amargo ao azeite.

11167709_10152721713682015_7154427181808161956_n

Dani

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here